Suggestiva | Releases

Releases

 

CELULAR E DIREÇÃO NÃO COMBINAM ADVERTE A DIRIGINDO BEM

DIA NACIONAL DO TRÂNSITO - CELULAR E DIREÇÃO NÃO COMBINAM ADVERTE A DIRIGINDO BEM

O Dia Nacional do Trânsito é comemorado em 25 de setembro e a Dirigindo Bem ressalta que quando se está atrás do volante, determinadas ações podem causar ou impedir que algo desagradável aconteça

Embora os acidentes automobilísticos ocorram todos os dias e por várias razões, enviar mensagens de texto ou falar no telefone enquanto dirige parece estar no topo da lista constantemente. Motoristas, jovens e adultos, estão tendo problemas para manter o foco na direção. A Dirigindo Bem alerta que usar o celular enquanto dirige criou uma nova situação “insegura a qualquer velocidade” e passa algumas dicas para evitar esse mau hábito.

Segundo a ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina do Tráfego) acontece cerca de 150 óbitos por dia no país e quase 54 mil por ano provocados pela utilização indevida do aparelho na hora de dirigir, sendo a terceira causa de mortes no Brasil.

O uso do telefone celular diminui a capacidade do motorista de ouvir o que está acontecendo ao seu redor, como sirenes ou buzinas de carros e tira a atenção das vias. Porém, para alguns motoristas, ficar longe do aparelho enquanto dirige pode ser difícil, pois ao ouvirem o menor toque, é provável que se distraiam instantaneamente e alcancem o celular, tirando os olhos da estrada. Quem tem esse problema, pode seguir as sugestões abaixo:

- Se estiver tentado a pegar o telefone ao ouvi-lo tocar ou vibrar, reprima esse desejo, desligando completamente o volume e a vibração enquanto dirige;

- Mantenha o telefone fora da vista e alcance. Para alguns, eliminar o volume e vibração pode não ser suficiente. Eles ainda podem querer pegar o telefone “apenas no caso” de alguém ter mandado uma mensagem. Manter o telefone fora do alcance e fora da vista pode corrigir esse problema. Uma sugestão é colocar o aparelho na bolsa, mochila ou maleta executiva e guardar no banco de trás do carro ou até mesmo no porta-malas;

- Se precisar fazer alguma ligação urgente, imprescindível atender o telefone ou enviar uma mensagem, saia da via;

- Como os pais dão o exemplo, eduque as crianças desde cedo. Ao entrar no carro antes de dar a partida guarde o celular e explique a importância deste ato;

- Baixe um aplicativo que bloqueia chamadas quando estiver no volante.

Os motoristas que seguram o celular e o volante ao mesmo tempo ou que falam no viva voz não assimilam todos os acontecimentos em seu ambiente de direção, ocasionado “cegueira por desatenção” e pode levar os motoristas a não reagirem no tempo correto em determinadas situações, como desviar de um pedestre, buracos na via, etc. Atualmente, além de mensagens de texto, há coisas comuns que as pessoas tendem a fazer durante a condução que representam ameaças, como mexer nas mídias sociais, tirar fotos, mexer no GPS com o veículo em movimento ou procurar músicas.

“Se não tiver jeito e precisar usar o aparelho como guia, coloque-o num suporte e programe o percurso antes de sair, ainda com o carro parado. Em determinadas situações, o pior não é a pessoa tirar a mão do volante para segurar o aparelho e sim o conteúdo do que está se falando ou digitando ao dirigir. Então, usar o aparelho no viva voz não diminui o risco de fatalidade. Imagina uma mãe que recebe uma ligação da escola, por exemplo, dizendo que seu filho sofreu um acidente, sua atenção, concentração e memória com certeza serão afetados neste momento e a distração é fatal para um acidente”, destaca a Psicóloga da Dirigindo Bem Ester Torres.

Sérgio Santos, Diretor da Dirigindo Bem, comenta que a franquia faz um treinamento com aulas teóricas e práticas, fornecendo informações valiosas e dicas sobre como evitar práticas inseguras ao volante. E em seus 18 anos de atuação já contribuiu para que mais de 150 mil alunos voltassem a dirigir com mais habilidade e segurança.

O Diretor fala que muitos motoristas continuam a usar telefones mesmo quando estão cientes do risco de acidente. Algumas pessoas já estiveram em apuros porque outro motorista se distraiu com a tecnologia. No entanto, poucos assumem que a sua própria distração com o uso do telefone estava colocando os outros também em perigo. Em parte, essa atitude "eu não" continua predominante, pois as pessoas acreditam que são motoristas melhores em comparação com quem os rodeiam.

“Quem já foi vítima de um acidente causado por um motorista distraído por usar o telefone, sabe como é frustrante saber que o acidente poderia ter sido evitado. Esses tipos de acidentes resultam em lesões físicas, trauma mental, danos ao veículo, encargos financeiros ou ainda pior, a morte. As pessoas devem compreender a seriedade da condução distraída e permanecerem alertas quando estiverem ao volante”, finaliza Sérgio.

Mais informações através da Central de atendimento Dirigindo Bem no telefone 0800 002 0221 ou pelo site www.dirigindobem.com.br.