Suggestiva | Releases

Releases

 

PAIS E FILHOS ENCORAJAM-SE PARA PERDER O MEDO DE DIRIGIR JUNTOS

As primeiras experiências ao volante, normalmente, são acompanhadas pelo olhar atento do pai, mas também tem o contrário, quando o filho cresce e estimula o pai a dirigir

Muitos pais e filhos têm uma motivação recíproca quando se trata de perder o medo de dirigir, e a Dirigindo Bem traz histórias de superações em uma mesma atividade relatadas no mês do Dia dos Pais, afinal é uma oportunidade anual de pensar sobre o papel que o pai desempenhou em sua vida e refletir a respeito de como cada pessoa se beneficiou da influência paterna. 

Vários recém-motoristas têm medo de fazer algo errado e machucar-se, de não poder acompanhar outros condutores na estrada, de fazer voltas erradas e perder-se ou ficam traumatizados depois de verem ou se envolverem em acidentes, etc. Embora esses medos possam parecer triviais, eles são muito reais e grandes para algumas pessoas. Por isso, o Militar Heverton Araújo, 52 anos, que ficou 10 anos afastado da direção em virtude de um acidente decidiu vencer o trauma e encorajar o filho. Heverton fez uma semana de aula na Dirigindo Bem e gostou do método da franquia, o qual associa aula prática e psicóloga. Então, sugeriu ao filho Lucas Araújo, 22 anos, fazer o curso no mesmo lugar, pois ele tinha tirado a habilitação recentemente e ainda não tinha prática. Atualmente, ambos dirigirem e acreditam ter ser sido essencial o encorajamento mútuo.

E também existe o inverso, ou seja, quando o filho faz primeiro o curso e depois estimula o pai a fazer. Alexandre Augusto, 20 anos, tirou a habilitação recentemente e como não tinha prática, procurou a Dirigindo Bem para um reforço. E assim que finalizou, chamou o pai. Seu Alexandre Augusto, 46 anos, ficou 10 anos sem dirigir por escolha e comodidade e optou em usar transportes públicos e alternativos. Porém, ao conversar com o filho a respeito das aulas recebeu encorajamento e decidiu voltar ao volante.

Há 17 anos, a franquia já contribuiu para que mais de 150 mil pessoas voltassem a dirigir. E uma delas, é a Técnica de Enfermagem Fernanda de Souza, 37 anos. Fernanda tinha medo e falta de prática ao volante. “Meu pai foi quem me incentivou. Ele viu a Dirigindo Bem e falou ‘Vai, você consegue’”.

Fernanda finalizou o curso e já até conduziu o carro para São Paulo ao lado do pai em uma viagem. E depois da conclusão, foi a vez dela motivar o paizão. Fernanda disse que seu pai, Simão da Conceição, 72 anos, tem a CNH - Carteira Nacional de Habilitação há mais de 30 anos, porém não dirigia por medo. Ao vê-la dirigir, ele se animou e ela retribuiu o incentivo. Atualmente, Simão faz aulas na Dirigindo Bem.

Mais informações através da Central de atendimento Dirigindo Bem no telefone 0800 002 0221 ou pelo site www.dirigindobem.com.br.

Sobre a Dirigindo Bem

A Dirigindo Bem conta com unidades localizadas em vários estados e é especializada no atendimento a condutores habilitados com medo de dirigir, seja por trauma, falta de prática ao volante, ansiedades, entre outros. A rede de franquias oferece aos alunos treinamento personalizado com metodologia exclusiva, que envolve acompanhamento psicológico e aulas práticas com gestores. Em seus mais de 17 anos de atuação, a Dirigindo Bem já contribuiu para que mais 150 mil pessoas voltassem a dirigir.